MANUTENÇÃO ESTRADA TRANSPENITENTE – ÚLTIMO GARGALO

MANUTENÇÃO ESTRADA TRANSPENITENTE – ÚLTIMO GARGALO

Nos últimos 6 anos (2015-2020) a AMAPA – Associação Maranhense dos Produtores de algodão em parceria com APSP – Associação dos Produtores da Serra do Penitente veem realizando manutenção/recuperação da estrada Transpenitente, que é rota para recebimento de insumos e escoamento da produção de nossos associados e demais produtores da região. O trecho abrange 106km de extensão de estrada vicinal, interligando uma área cultivada de aproximadamente 150.000 hectares, todos os serviços e investimentos são provenientes desta parceria.

Entre os anos 2015 a 2019 foram levantados 88 km deste trecho (desde o pisa no Freio – MA 006 até depois da fazenda Nova Holanda). O custo atual deste tipo de trabalho gira em torno de R$ 35 mil/por km, por tratar-se de um trabalho de base bem executado e compactado, afim de ofertar segurança e durabilidade aos usuários. Além do levantamento, são investidos anualmente aproximadamente R$ 1 milhão com manutenções pontuais (reparos no trecho).

Em janeiro de 2019 foi inaugurado outra importante obra, a ponte de ferro sobre o Riacho Marcelino, eliminando um dos gargalos desta região.

Em parceria com a APSP, estamos a partir deste ano, atuando com uma patrulha fixa de máquinas da empresa Terramak, sendo (01 Patrol, 02 Caçambas, 01 Pá Carregadeira, 01 Caminhão Pipa e 01 Hilux para assistência) fazendo a manutenção nos pontos críticos da Transpenitente.

Depois de todo histórico de recuperação e manutenção, chegamos ao último gargalo “Ladeira Piso no Freio”, local onde os caminhões tem dificuldade de subir, ficando muitas vezes atravessados, interrompendo o trânsito. Para acabar com este gargalo, será feito o REBAIXAMENTO DA LADEIRA PISA NO FREIO. A obra será realizada pela empresa Terramak, iniciando no período 18/05 a 22/05, com prazo de execução de 60 dias. O valor da obra é estimado em R$ 500 mil. Afim de diluir esse valor, as associações buscam apoio juntos as transportadoras para ajudar na execução desta grande obra, eliminando assim o último principal gargalho desta região.

 

 

Sergio Geraldo – Gerente Administrativo Nortegrãos, parabeniza as associações pelos trabalhos “Parabéns as duas Associações pelo trabalho desenvolvido na Serra do Penitente e por mais essa grande obra que vai ajudar bastante todos usuários da estrada” e ressalta que “ajuda de custo é voluntária, mas creio que se cada um fazer doação de uma pequena quantia será muito importante para ajuda na obra” e também “devemos levar em consideração que o frete na estrada ruim ou na estrada boa é o mesmo, o que muda são os custos do caminhão.”

João Franklin, gerente fazenda Parnaíba e Tesoureiro da APSP, ressalta que “já foi investido muito dinheiro nesta estrada para termos trafegabilidade, dinheiro vindo dos produtores e da AMAPA. Agora estamos fazendo mais um investimento alto para não termos mais problemas de interrupção da estrada, que é o gargalo da ladeira. Toda ajuda é muito bem vinda, e todos nós seremos beneficiados!!!”

A região da Serra do Penitente representa atualmente 60,48% da produção algodoeira do Estado, seguida pela região do Gerais de Balsas com 39,52%, desta forma, é primordial o consenso da cadeira produtiva para contribuir com o enfrentamento dos principais gargalos do agronegócio regional.

No cerrado maranhense a AMAPA veste o branco do nosso algodão!